Eventos que nos marcam – O congresso que foi um fracasso e mesmo assim valeu a pena!

Este ano decidi presentear-me no meu aniversário com a ida a um congresso a Madrid – “Being One”. Neste congresso iam estar presentes alguns dos grandes oradores mundiais de desenvolvimento pessoal: Robin Sharma, Neale Donald Walsch, Gregg Braden, Mabel Katz, Joe Vitale, Mooji, entre outros.

Vieram centenas de pessoas de várias partes do mundo, que tal como eu queria beber destes oradores as suas sabedorias e aprendizagens, e aquilo que parecia ser um fim-de- semana inspirador acabou sendo uma surpresa desafiante.

Por questões logísticas e de gestão as coisas começaram mal e o primeiro dia foi um “fracasso”, no segundo dia, as portas do evento não abriram à hora prevista, os oradores palestraram no meio da rua em cima de uma mesa de plástico, rodeados de centenas de pessoas. O que mais me marcou nesta situação foi a forma, incrivelmente positiva e focada em soluções, de todos os envolvidos que não deixaram de cumprir a sua missão de #inspirarmudancaspositivas nos presentes, independentemente das condições precárias.

Decidi registar e partilhar as minhas maiores aprendizagens pois tudo na vida tem um sentido, aquele que lhe damos; tudo na vida tem um lado positivo, por muito pequeno que seja e mesmo não sendo evidente no imediato; e tudo na vida vale a pena, quando sabemos aproveitar e gerir, transformando os desafios em oportunidades.

Eis as minhas reflexões sobre este evento. Se alguma delas forem motivo de inspiração e motivação para si, tal como foi para mim, então valeu mesmo a pena ter ido.

  1. Existe um ponto comum onde todos somos iguais, onde existem sempre soluções para os que as procuram e tudo acontece sempre por alguma razão. Vir a este evento permitiu-me conhecer pessoas únicas e diferenciadoras com as quais vou certamente colaborar no futuro.
  2. Quando nos focamos no erro dificilmente vemos as oportunidades e as soluções.
  3. Se eu mudo perante os desafios, o meu entorno muda na mesma medida. Ver a vida com outros olhos não muda a vida mas muda o impacto que a vida tem em nós.
  4. As nossas emoções são os motoristas da nossa vida, são elas que conduzem as nossas relações, os nossos resultados e a qualidade das nossas vivências. Quanto mais equilibradas forem as nossas emoções menor será o impacto negativo dos eventos externos.
  5. As preocupações (momentos em que a nossa mente viaja ao futuro para antecipar desafios) enfraquecem nos, e sugam-nos a possibilidade de viver com qualidade o momento presente. Já a gratidão (momento em que a nossa mente reconhece o bem no presente) enriquecem nos e proporcionam experiencias emocionais possibilitadoras.
  6. Nada nos serve exceto se nos permitirmos vive-lo. Quem se esquece de sentir e experimentar o momento, complicando e dificultando ao invés de solucionar, esquece-se de viver.
  7. A vida nem sempre nos dá o que queremos para ser felizes, mas dá-nos sempre o que precisamos para nos conhecermos melhor.
  8. A vida e as experiencias que nos proporciona, são a maior dádiva de validação do caminho que estamos a fazer. Aqueles que gradualmente superam as adversidades mostram crescimento, ao invés dos que seguem lutando e lamentando as experiências, sem evoluir na forma como lidam com elas.
  9. Tudo na vida é uma metáfora de expressão do nosso interior! Estamos a viver uma experiência humana e não há nada nem ninguém fora de mim que reconheça melhor que eu a minha evolução neste percurso. Agora sei que estou no bom caminho, e tu?
  10. Na vida temos sempre opções: ou resistimos ao que nos acontece (lamentamos, criticamos, confrontamos) ou fluímos com o que nos acontece (aceitamos, solucionamos e experienciamos). A grande diferença entre um e outro? O que sentimos, o que levamos para o futuro e a capacidade de substituir tudo o que nos confronta e ataca por algo que nos acompanha e engrandece.

Não temos que aceitar tudo mas devemos no mínimo permitir-nos vivê-lo, sem camuflar cada momento com as emoções que ofuscam a experiência do presente! (NM)

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *