Doutoramento em carisma

Dei por mim a reflectir sobre o que faz umas pessoas serem mais carismáticas do que outras. Pois bem, tenho boas e excelentes notícias. Mesmo que haja uma determinada genética associada ao carisma, esta característica pode e deve ser desenvolvida.

Como perguntam vocês? Eis algumas sugestões….

Encarar a realidade com otimismo

Independentemente de como está o mundo à minha volta definitivamente prefiro estar rodeada de pessoas otimistas. Não me refiro àquelas pessoas que vêem o mundo sempre cor-de-rosa alienando-se da realidade dos factos; mas àquelas que, mesmo tendo dias maus, decidem não investir tempo no problema e sim abraçar possíveis soluções.

Comunicar com paixão

Independentemente do tema e do contexto são as pessoas que falam com paixão que mais cativam a nossa atenção. Discursos emocionais têm impacto; discursos descritivos têm impacto; discursos que evocam sensações têm impacto. O que costuma responder à habitual pergunta de como foi o seu dia? Um simples: foi bom. Ou, está a ser incrível, pois aproveitei este belo dia soalheiro para apreciar um agradável passeio e agora sinto-me bem mais animada. O dia até pode ter sido o mesmo, contudo pessoas carismáticas são bem mais generosas nas suas partilhas (assim como o impacto que tem no outro).

Ser congruente

É muito fácil percebermos que algo não bate certo quando a pessoa com quem interagimos não diz o que pensa, ou não faz o que diz; ou seja, quando é incongruente nos seus comportamentos. O segredo é criar harmonia entre o que se diz e o como se diz. Pessoas com carisma falam de temas que lhes interessam, falam com confiança e acima de tudo acreditam no que dizem.

Indutores de estados

Sempre que interagimos com outras pessoas acabamos por ter sempre algum impacto no seu estado. Há pessoas que são incríveis a deitar-nos a baixo, a sugar a nossa energia e a infectar com a sua presença. Ser carismático é ter a capacidade de ser um “expert” a estimular positivamente os outros, com uma palavra, um sorriso, uma pergunta; é ser capaz de estimular o outro a dar o melhor de si, com um convite, um silêncio, um telefonema animador.

No dia-a-dia quando interagimos com outras pessoas a toda a hora e devemos ter consciente que cada interacção produz um resultado nas partes. Imagine que a partir de hoje investe algum tempo a treinar-se para se doutorar em carisma e intenciona que sempre que interagir com alguém a sua missão é apenas deixar essa pessoa em igual ou melhor estado do que aquele em que a encontrou.

Os seus relacionamentos vão ser muito mais saudáveis e aumentará a probabilidade de gostarem de a ter por perto.

Desejo-vos excelentes interacções e se descobrirem novas formas de afectar os outros, partilhem connosco.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *