Digo não ou digo sim?

Quantas vezes quis dizer que não a uma solicitação e deu por si a fazer exactamente o oposto?

Se esta tomada de posse de uma simples palavra “sim ou não” fosse ausente de impacto seria incrível. No entanto estamos a falar de gestão de tempo (ou falta dela) e em bem estar interior (ou ausência dele). Por isso quer diga que sim, quer diga que não, deve sempre sentir-se bem com isso.

Crenças para dizer sim quando quero dizer não:

  • É um pedido do chefe logo é melhor que o faça, perco tempo mas mantenho uma boa imagem ….. e o emprego!
  • Posso não fazer mas o que vão achar de mim? Só quem não se acha capaz é que evita lidar com desafios!
  • Não posso desapontar esta pessoa!
  • E se isto correr mal e eu nem colaborei no projecto, vou me sentir culpada!
  • E se eu mais tarde precisar de ajuda?
  • Ok, não estou para me chatear!

Será que devo dizer Sim quando quero dizer Não?

  • Quem é mais forte? Quem diz sempre que sim e lida com as consequências duma escolha não desejada ou quem diz que não e lida bem com a sua escolha desejada?
  • As pessoas que controlam a sua vida e resultados tendem a sentir-se melhor. Logo dizer não é uma forma de aumentar ou de diminuir o controlo que tenho na vida?
  • Se não queremos fazer será boa ideia “encher o nosso dia” com o que os outros nos solicitam ou valorizar o nosso tempo e o investimento que lhe damos?
  • Será que assumir o não nos torna mais eficientes?

Depois de reflectir sobre as respostas a estas perguntas acredito que no futuro:

  • Se uma amiga me convidar para sair e estou cansadíssima, digo NÂO!
  • Se alguém me pede ajuda e estou envolvido numa tarefa; Digo NÂO, por agora!
  • Se no trabalho é urgente que alguém colabore num projecto, digo Não e recomende outra pessoa para a tarefa!
  • Se o filho pede um doce antes do jantar, diga NÂO e explique com sentido!

Diga NÃO e justifique com argumentos racionais. Diga Não em formato recusa em vez de rejeição. Dê alternativas aos seus Não!

Por vezes confrontamo-nos com decisões complexas. Imagine n trabalho à ultima da hora pedirem para ficar a ajudar e nesse dia tem um jantar com amigos que não vê à algum tempo e pode não ter tão cedo essa oportunidade. Qual a melhor resposta?

  • Se diz que sim há grandes probabilidades de ficar “desconsolada” e a pensar no seu belo jantar…
  • Se diz que não há grandes probabilidades de ficar a pensar nas consequências da sua decisão e nem usufruir do jantar.

E se disser:
“Hoje tenho um jantar reservado com amigos que vieram de fora mas como sei o quanto é importante este projecto, o que acha se ligasse a x pessoas? Por hábito gostam de fazer horas extra? No futuro se me avisar com mais tempo pode certamente contar comigo.”

Depois é só desfrutar da sua escolha. Dizer não é fácil, o mais difícil é lidar com isso e com os pressupostos associados às suas consequências. Quando aceitar que o seu Nâo é o melhor para todos, será bem mais fácil.

E já agora:

Em que contextos gostaria de dizer mais vezes Não e normalmente diz sempre SIM?

O que faz com que seja difícil dizer Não?

Já fez uma lista de todas as vantagens associadas ao Não nesse contexto?

O que tinha que acontecer para dizer Não faze-la sentir-se bem?

2 replies
  1. Neuza Rodrigues
    Neuza Rodrigues says:

    Gostei muito Nuria! texto esclarecedor e com excelentes sugestoes para lidarmos com a opçao do Nao. Muitas vezes a diferença para nos e para os outros esta na forma como dizemos que nao e se damos ou nao uma soluçao para esse mesmo nao.
    Parabens!

    Responder
    • Núria Mendoza
      Núria Mendoza says:

      Olá Neuza, muito obrigada pelo teu comentário! Termos a capacidade de dizer não pode ser uma pequena mudança com grande impacto na nossa gestão do tempo e acima de tudo nas nossas emoções. Agora é por em prática :). Até breve,

      Responder

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *