Deixa cair a máscara e liberta o teu eu verdadeiro!

Não é fácil viver na sociedade atual sem uma máscara, mas mais difícil é retira-la quando tomamos consciência que já não nos serve. Tendemos a coloca-las perante os desafios da vida, para nos protegermos emocionalmente, até perceber que o que o que apenas conseguimos com isso é deixar de sentir.Usamos máscaras para nos protegermos dos outros e o único que conseguimos é deixar de ser vistos na nossa verdade. As nossas máscaras impedem que nos vejam mas também nos dificultam a visão.

Estarei a mostrar ao mundo aquilo que realmente sou? Quão real é a pessoa que observo ao espelho diariamente? Mantenho a máscara e nunca serei reconhecida pelo que realmente sou ou aceito o risco de a tirar e mostrar quem sou? O que nos impede de o fazer?

  1. Não aceitar a verdade – dificilmente viveremos um futuro melhor se permanecermos nos mesmos pensamentos do passado. Aceitar que temos medo de estar sós e que quando estamos acompanhados mostramos sempre o melhor de nós, eleva-nos as defesas, impedindo o eu e o outro de ver a verdade.
  2. Falta de amor-próprio – criamos tantas barreiras para nos protegermos de quem pensamos que somos que por vezes ficamos presos nelas. Precisamos do amor dos outros quando não temos amor-próprio, mas só conseguimos esse amor na mesma medidas em que aprendemos a amar-nos. A maior parte das qualidades que procuramos ter são nossas por defeito e como estamos tão ocupados a tentar ser sempre melhores acabamos por esquecer-nos de apenas ser.
  3. Ceder ao medo e a dúvida – ninguém pode viver bem consigo próprio sem a coragem e a ousadia de testar o conhecimento de si. Sempre que me agarro á minha identidade – aquilo que julgo ser; às minhas crenças – o que acredito ser verdade e mentira; às minhas avaliações – o que é certo e errado; perco a determinação e a coragem, pois os nossos medos apenas existem na medida em que acreditamos neles.

Não é fácil aceitar a total responsabilidade pela vida, pela influência que as pessoas tem nela, pelos acontecimentos que a moldam, reconhecer que somos a causa e não o efeito dá-nos poder, o medo deixa de fazer sentido.

A próxima vez que se olhar ao espelho pergunte:

  • o que de bom e belo tem a imagem que vejo?
  • quais são os meus verdadeiros sentimentos em relação ao eu?
  • que personagem criei para que os outros gostem de mim?

Deixa cair a máscara e liberta o teu eu verdadeiro!

 

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *